Documento sem título
Você está em
Home > Bahia > Conheça a história de ‘Prefixo de Verão’, sucesso no Carnaval de 1991

Conheça a história de ‘Prefixo de Verão’, sucesso no Carnaval de 1991

Uma canção romântica e melódica ganhou os corações dos foliões carnavalescos da Bahia. Prefixo de Verão, eleita pelos leitores do CORREIO como a quarta melhor música de Carnaval dos últimos 30 anos, é o assunto da segunda reportagem da série de matérias produzidas para homenagear a festa deste ano, que tem como tema Cidade da Música – título concedido a Salvador pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) em 2015. A música foi eleita pelos leitores do CORREIO como uma das melhores do Carnaval nos últimos 30 anos.

AS 5INCO MAIS DO CARNAVAL: CONHEÇA A HISTÓRIA DE OUTRAS MÚSICAS ANTIGAS QUE SÃO CLÁSSICOS DO CARNAVAL DE SALVADOR

Composta por Beto Silva, falecido em 2012, aos 57 anos, a música foi  sucesso no Verão de 1991 com a Bamda Mel. Lenta e melódica, Prefixo de Verão gerou desconfiança em muitos artistas. Foi rejeitada  por Luiz Caldas, Chiclete com Banana, Margareth Menezes e Sarajane. Mas virou hino na voz de Robson Moraes, cantor recém-chegado ao grupo .

O refrão “aê, aê, ei, ei, oô, oô” ecoa até hoje nos nossos ouvidos e corações, mas, na época, a própria gravadora da banda, a Continental, também ficou resistente. No entanto, Paulo Ferreira, produtor do disco, se antecipou e registrou o título do álbum como Prefixo de Verão. “Aí não teve mais jeito”, brinca o vocalista. “Fui conversar com ele para deixar a música como penúltima faixa do lado B do disco”, lembra Robson.

A força da canção, no entanto,  fez ocupar a primeira do lado A, logo depois de ter sido executada em público, pela primeira vez, na Lavagem do Bonfim. “Naquele ano, a distância entre a lavagem e o Carnaval eram duas semanas e nessas duas semanas a música virou hit”, recorda. Sem modéstias, em entrevista ao CORREIO em 1991, o compositor Beto Silva disse que a canção foi criada em 1988 com a intenção de salvar a música baiana que, em sua opinião, não andava nada bem.

Márcia Short e Alobêned, que dividiam os vocais com Robson Moraes, em apresentação da Banda Mel nos anos 90 (Foto: Margarida Neide / Divulgação)

Simplicidade
Para a cantora Márcia Short – dividiu os vocais com Robson e Alobêned na segunda formação da banda – a Bahia precisava de algo que aliviasse os ânimos e fosse contra a violência. “Chegamos para falar de amor. Tinha começado uma onda de meter cotovelo e abrir caminho e o samba reggae chegou cheio de malemolência”, explica ela. Os cantores acreditam que o sucesso da música está justamente nessa letra simples e pacífica, de fácil absorção. “É imbatível e ponto final. Tem uma melodia genial, uma letra simples que toca no coração do povo”, diz Márcia. No entanto, para Robson, o fato de ser uma canção simples não significa que Beto não tinha propósitos. “Aquelas sílabas do refrão tinham um significado para ele, não eram palavras jogadas ao vento. É um grito indígena”, comenta.

O compositor do hit não era leigo. Além de ter escrito livretos de poesia, passou pela Escola de Música da Ufba, onde se especializou em instrumentos de corda e percussão, chegando a trabalhar como produtor do cantor e compositor Jorge Mautner. Segundo o próprio Beto disse à época, ele possuía muitas músicas prontas e queria espaço para mostrá-las.

No entanto, Beto era resistente e crítico ao processo industrial da música. Por causa disso, Robson acredita que Prefixo de Verão tenha sido a única música do compositor que chegou a ser gravada. Em 1992, a canção foi utilizada num comercial de lançamento do carro Uno Mille Eletronic, da Fiat, num medley com a canção Meu País, de Ivan Lins. A utilização rendeu a Beto uma bela indenização, pois a empresa não pediu autorização ao compositor para veicular a canção.

Morador de um sobrado no Pelourinho, Beto fez parte da Associação de Artistas Independentes do bairro e lutava pela revitalização do Centro Histórico. Com os louros provenientes de sua música, ele conseguiu comprar uma cobertura, mudando-se para o bairro da Saúde. Na data de sua morte, a Associação Brasileira de Música e Artes (Abramus) emitiu uma nota de pesar. “Sinto falta do meu parceiro, mas ele deve estar em um bom lugar e orgulhoso da sua construção”, diz Robson Moraes. Salve, Salvador e Beto Silva!

Beto Silva, que morreu em 2012, compôs o hit gravado pela Banda Mel
(Foto: Célia Aguiar/Arquivo Correio)

Deixe uma resposta

Top