Documento sem título
Você está em
Home > Destaques > Auxiliar de cozinha de presídio é preso suspeito de repassar drogas, armas e celulares a detentos na Bahia

Auxiliar de cozinha de presídio é preso suspeito de repassar drogas, armas e celulares a detentos na Bahia

Interno do Presídio de Salvador, na Mata Escura, seria o articulador do esquema e também teve prisão temporária cumprida nesta sexta-feira (6)
Um auxiliar de cozinha do Presídio de Salvador, na Mata Escura, foi preso suspeito de repassar drogas, armas e celulares a detentos. As informações são do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que deflagrou a operação “A La Carte”, nesta sexta-feira (6), que visa desarticular um esquema para introduzir clandestinamente o material ilícito.




Segundo o MP-BA, Emerson Cordeiro Felipe é funcionário terceirizado da empresa que presta serviços de alimentação na unidade prisional. Ele é suspeito de repassar drogas, armas e celulares a Jeferson Jesus da Costa, conhecido como Leôncio, interno do Presídio Salvador. Além do mandado contra o auxiliar de cozinha, o MP-BA também cumpriu um mandado de prisão temporária contra o detento.

Segundo a investigação, Leôncio é apontado como uma das “lideranças” do Presídio de Salvador e também como articulador da entrada clandestina de drogas, armas e aparelhos celulares na unidade, utilizados para as ações de uma das principais facções criminosas em atuação na Bahia.

As investigações ainda indicam que o auxiliar de cozinha se valia da função exercida para introduzir os materiais ilícitos no ambiente carcerário. O MP-BA ainda divulgou que Emerson já teria prestado serviços semelhantes a outros integrantes do mesmo grupo criminoso.

De acordo com o MP-BA, também foram cumpridos mandados de busca e apreensão na casa de Emerson, em Salvador, no alojamento que ele ocupava na unidade prisional e na cela habitada por “Leôncio”. Na residência do auxiliar de cozinha foram encontradas armas cortantes, como peixeiras e facas, celulares e carregadores. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara de Tóxicos da Comarca de Salvador.
A operação “A La Carte” foi feita pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e da Coordenação de Segurança e Inteligência (CSI), junto com a Coordenação de Monitoramento e Avaliação do Sistema Prisional (Coordip), órgão vinculado à Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

O MP-BA fará uma coletiva de imprensa, na sede do órgão, no bairro de Nazaré, às 10h30 desta sexta-feira, para divulgar detalhes sobre a operação.

Deixe uma resposta

Top