Documento sem título
Você está em
Home > Destaques > Médico que morreu em Ilhéus após usar cloroquina teve receita dada por hospital

Médico que morreu em Ilhéus após usar cloroquina teve receita dada por hospital

Hilza Cordeiro

redebahia

Secretário disse inicialmente que “por ser médico, paciente conseguiu acesso à hidroxicloroquina”

O médico Gilmar Calasans Lima, 55 anos, que morreu em Ilhéus por conta da covid-19, teve os medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina receitados por um médico do próprio Hospital Regional Costa do Cacau, onde ele já trabalhou e para onde foi levado quando teve um mal súbito. Na manhã desta sexta-feira (21), o secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, havia publicado em rede social que “por ser médico, o paciente conseguiu acesso à hidroxicloroquina e azitromicina”, escreveu.

No entanto, o CORREIO teve acesso à uma receita médica prescrita para o paciente e assinada pelo médico Rafael Klecius Reis Araújo (veja abaixo). Procurada novamente, a secretaria disse que a prescrição receitada por Rafael fugiu ao protocolo adotado pela unidade de saúde e garantiu que será aberta uma sindicância para apurar o fato.

De acordo com informações do secretário estadual de Saúde, Gilmar fez tratamento domiciliar por quatro dias, com a combinação de hidroxicloroquina e azitromicina. O paciente chegou a apresentar melhora clínica, sem febre ou dispneia, quando apresentou um mal súbito e deu entrada na unidade com parada cardiorrespiratória.

A Secretaria Municipal de Saúde de Ilhéus (Sesau) disse que não se posicionaria sobre o ocorrido por considerar que o assunto é de responsabilidade exclusiva da unidade hospitalar, administrada pelo Governo do Estado. A reportagem tentou contato por telefone com o Hospital Regional Costa do Cacau (HRCC), mas a recepção informou que não havia nenhum diretor responsável pela instituição para comentar as circunstâncias da prescrição do medicamento.

Também entramos em contato por telefone e e-mail do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Administração Hospitalar (IBDAH), que administra a unidade gerida pelo Estado, mas não houve retorno até a publicação desta matéria.

Em nota, a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) esclareceu que libera, mediante prescrição médica, o uso da associação dos medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina para pacientes exclusivamente internados no Sistema Único de Saúde (SUS) com diagnóstico positivo para o coronavírus. “Cabe ressaltar que outras alternativas terapêuticas também são disponibilizadas para emprego no tratamento de pacientes hospitalizados, tais como Ivermectina e Tocilizumabe”, informa o comunicado.

(Foto: Reprodução)

Relembre

Sabe-se que Gilmar era hipertenso e diabético, mas tomava medicamentos e tinha o seu quadro controlado. Após passar mal com o tratamento domiciliar, o médico foi levado ao HRCC por familiares, onde deu entrada na emergência com um quadro de parada cardiorrespiratória. “Foi submetido a manobras de reanimação por 45 minutos, permanecendo sem estabilizar o ritmo cardíaco, terminando por evoluir para o óbito”, explicou o secretário de Saúde.

Vilas-Boas chegou a usar as redes sociais para alertar sobre o uso da substância que vem sendo apontada como uma possibilidade de tratamento para a covid-19. “É sabido que a cloroquina e a hidroxicloroquina podem levar a arritmias cardíacas graves potencialmente fatais. Seu uso deve ser precedido de avaliação cardiológica e realização de eletrocardiograma”, ressalta.

Perguntado se o remédio foi o responsável pela morte do médico, o secretário acrescentou: “Ele estava melhorando da covid. Para mim, o mecanismo de morte é altamente sugestivo de arritmia por efeito adverso da medicação”.

Médico de 55 anos estava usando hidroxicloroquina para COVID-19. Ele era hipertenso e diabético, vinha em tratamento domiciliar há 4 dias, com a combinação hidroxicloroquina e azitromicina, com melhora clínica, já sem febre ou dispneia, quando apresentou um mal súbito.

390 pessoas estão falando sobre isso

A direção do HRCC, onde Gilmar também trabalhava, divulgou nota lamentando a morte. “O colaborador permanecia em isolamento domiciliar na última semana quando nas últimas 48hs apresentou piora, sendo internado de urgência no HRCC”, diz o texto. “Neste momento de dor e consternação, deixamos os nossos mais sinceros pêsames aos familiares e amigos”, finaliza a mensagem.

A unidade de saúde foi procurada, mas ainda não se manifestou sobre a receita prescrita por um médico da instituição.

Bahia autorizou tratamento com substância
O secretário de Saúde da Bahia anunciou no dia 8 de abril que o governo do estado  liberaria, mediante prescrição médica, o uso da associação dos medicamentos hidroxicloroquina e azitromicina para pacientes internados no Sistema Único de Saúde (SUS) com diagnóstico positivo para coronavírus (Covid-19).

A deliberação ocorreu durante reunião da comissão científica criada pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) para analisar as evidências científicas envolvendo a Covid-19, que aconteceu na tarde desta quarta.

De acordo com Vilas-Boas, que preside a comissão, “a recomendação é que os pacientes hospitalizados recebam os medicamentos o mais precocemente possível após a internação”, ao apontar que temos estoque suficiente para atender até 50 mil pacientes.

Casos na Bahia
A Bahia confirmou mais uma morte em decorrência do novo coronavírus e, agora, soma 48 óbitos. O número foi atualizado pela Secretaria da Saúde do estado (Sesab) em balanço anunciado no início da noite desta terça-feira (21). Ao todo, são 1.504 diagnósticos da covid-19, com 15 novos casos registrados desde o levantamento anterior, divulgado pela tarde, quando eram 1.489.

A 48ª fatalidade confirmada foi de uma mulher de 54 anos, residente em Água Fria. Ela faleceu na segunda-feira (20), em um hospital público de Salvador.

A capital baiana tem o maior número de mortes por covid-19 no estado: são 24, já contando com este último. Isso significa que a metade dos óbitos confirmados aconteceram na cidade.

As outras vítimas fatais foram registradas nos municípios de Adustina (1); Araci (1); Belmonte (1); Feira de Santana (1); Gongogi (2); Ilhéus (3); Ipiaú (1); Itabuna (1); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5), um dos óbitos era residente no Rio de Janeiro; Uruçuca (2); Utinga (1); Vitória da Conquista (1).

Até o momento, a Bahia já descartou 5.358 casos. Ao todo, 376 pessoas estão recuperadas e 163 encontram-se internadas, sendo 64 em UTI. Os dados contabilizam todos os registros feitos de janeiro até as 17h desta terça-feira (21).

Os casos confirmados estão distribuídos em 99 municípios do estado. Mais uma vez, a maior proporção está em Salvador, com 61,3% diagnósticos. Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por um milhão de habitantes foram Utinga (677,86), Ilhéus (566,76) Santa Luzia (555,69) e Barra do Rocha (525,03).

A média de idade das pessoas infectadas é de 39 anos, variando de 4 dias a 99 anos. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, com 29,58% do total.

Mortes por coronavírus na Bahia

29/3 – Idoso de 74 anos (Hospital da Bahia, em Salvador)
30/3 – Engenheiro civil de 64 anos (Hospital Aliança, em Salvador)
1/4 – Mulher, mãe de recém-nascido, de 28 anos (UPA, em Itapetinga)
2/4- Homem de 88 anos (Hospital da Bahia, em Salvador)
3/4 – Idoso de 79 anos (Cardiopulmonar, em Salvador)
3/4 – Mulher de 41 anos (Couto Maia, em Salvador)
3/4- Idoso de 80 anos (Utinga)
3/4 – Idosa de 62 anos (Instituto Couto Maia, Salvador)
4/4 – Ex-gerente da Caixa Econômica, 55 anos (Hospital Aeroporto, em Lauro de Freitas)
5/4 – Idoso de 87 anos (Salvador)
6/4 – Taxista de 64 anos (Instituto Couto Maia, Salvador)
6/4 – Idoso de 76 anos (Hospital Municipal em Araci)
7/4 – Homem de 26 anos (Instituto Couto Maia, Salvador)
7/4 – Homem de 53 anos (Instituto Couto Maia, Salvador)
7/4 – Mulher de 51 anos (Hospital particular, Salvador)
7/4 – Idoso de 96 anos (Hospital particular, Salvador)
7/4 – Idosa de 63 anos (Uruçuca)
8/4 – Idosa de 72 anos (Ipiaú)
9/4 – Idoso de 65 anos (Ilhéus)
10/4 – Idoso, 71 anos (Gongogi)
10/4 – Idosa de 84 anos (Salvador)
10/4 – Idosa de 62 anos (Itapé)
11/4 Homem de 35 anos, residente no Rio de Janeiro (Lauro de Freitas)
12/4 Idosa de 95 anos (Salvador)
13/4 Homem de 69 anos (Vitória da Conquista)
13/4 Idosa de 82 anos (Gongogi)
14/4 Idosa de 82 anos (Belmonte)
14/4 Homem de 52 anos (Hospital particular, Salvador)
14/4 Idosa de 73 anos (Salvador)
15/04 Idosa de 90 anos (Hospital público, Salvador)
15/04 Idosa de 74 anos (Hospital particular, Salvador)
15/04 Homem de 81 anos (Hospital público, Salvador)
15/04 Mulher de 60 anos (Hospital público, Salvador)
16/04 Homem de 62 anos (Hospital público, Ilhéus)
16/04 Mulher de 61 anos (Hospital público, Ilhéus)
16/04 Idosa de 82 anos residente de Lauro de Freiras (Hospital particular de Salvador)
16/04 Homem de 28 anos (Hospital Couto Maia, Salvador)
16/4 Idoso de 73 anos (Hospital particular de Salvador)
16/4 Homem de 37 anos (Hospital filantropico em Itabuna)
16/4 Homem de 27 anos (Salvador)
17/4 Idoso de 63 anos (Hospital público, Ilhéus)
17/4 Idoso de 80 anos (Salvador)
18/4 Idosa de 82 anos  (Salvador)
18/4 Idosa de 82 anos natural de Feira (Hospital Couto Maia, Salvador)
18/4 Idosa de 79 anos (Hospital público, Salvador)
18/4 Homem de 26 anos (era de Ipiaú, estava internado em hospital público de Salvador)
20/4 Médico de 55 anos (Hospital da Costa do Cacau, Ilhéus)
20/4 Mulher de 54 anos (residente em Água Fria, faleceu em hospital público de Salvador)

Da Redação: Inhambupenoticias Falar com Reinaldo Silva Radialista DRT.8217/BA – whatsApp (71) 9-9912 9161 – (75) 9.8132 7723 e-mail: reinaldosilva95fmalagoinhas@gmail.com Inscrevam-se Canal YouTube Reinaldo silva radialista. Ouça de segunda a sexta das 12h às 14h programa impacto da notícia pela Rádio 95,7 FM de Alagoinhas. Ligue e participe ao vivo 75 3033 0957 – Whatsapp 75 9.9960 0957  Baixe nosso aplicativo no play store do seu celular 95 FM de Alagoinhas, Ouça Nossa Programação ao Vivo Pelo RadiosNet

Deixe uma resposta

Top