Documento sem título
Você está em
Home > Destaques > Petrobras desativará perfuração de poços terrestres na Bahia

Petrobras desativará perfuração de poços terrestres na Bahia

Sindicato dos Petroleiros da Bahia estima que 150 pessoas ficarão desempregadas

Há 34 anos auxiliando a descobrir novos poços terrestres de petróleo, a Sonda 109, hoje montada no Campo de Araçás, na Bahia, está prestes a ser desativada, segundo afirma o Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro-BA). Procurada, a Petrobras confirmou a descontinuidade da atividade. De acordo com o sindicato, alguns funcionários terceirizados já estão de aviso prévio e estima-se que, no total, 150 empregados serão demitidos no estado.

A última perfuração da sonda aconteceu ainda este mês no município de Araçás, a 106 Km de Salvador. Com capacidade para perfurar até 6 mil metros, o equipamento é hoje, no Brasil a maior sonda em operação, conforme informações do Sindipetro. “Existem mais poços para serem perfurados na Bahia, bem como em outros estados, mas a empresa preferiu o pior caminho, que é a desativação e os seus efeitos, como o desemprego”, lamenta Radiovaldo Costa, diretor de comunicação do sindicato.

Segundo o diretor, a sonda será desmontada e levada para a área da Petrobras em São Sebastião do Passé para ser guardada em galpão. Radiovaldo diz que a decisão de encerrar essa atividade impactará a arrecadação dos municípios que têm potencial de extração de petróleo.

Ele explica que quando a Petrobras escolhe perfurar um local, a cidade passa a receber o Imposto Sobre Serviços (ISS) e royalties. “Além disso, quando tem funcionamento numa cidade, o município ganha com a movimentação de hospedagem para trabalhadores, fornecimento de combustível, alimentação, enfim, inúmeros serviços”, acrescenta.

O sindicato declarou que foi surpreendido com a suposta decisão e que se reunirá para definir uma manifestação contra a paralisação da sonda. Até o início de 2020, a categoria pretende judicializar o caso para buscar uma decisão favorável para a manutenção dos empregos e do funcionamento do equipamento.

Leia também: Sondas estão virando sucatas em Catu

Em nota ao CORREIO, a Petrobras informou que, até o final de dezembro, encerrará as operações das sondas de perfuração terrestres 109 e 86, esta atualmente no Rio Grande do Norte. Segundo a empresa, o encerramento não trará qualquer prejuízo à continuidade das atividades de perfuração. “As perfurações de poços previstas no Plano de Negócios da companhia seguem com serviços contratados a partir de processos competitivos em mercado, considerando a melhor economicidade para os projetos. O objetivo é otimizar a geração de valor através da redução de custos”, diz o comunicado.

CONFIRA O ESPECIAL ‘O PETRÓLEO ERA NOSSO’

A companhia finaliza o documento dizendo que reforça o compromisso com a transparência e com o respeito aos nossos empregados nas movimentações que sejam necessárias.

Descontinuidade
Ainda conforme o sindicato, a categoria vem sofrendo diversas baixas na Bahia, como por exemplo o recente arrendamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen), em Camaçari, para o Grupo Unigel. “Até o momento está parada. Foi arrendada por 10 anos para operar nas mesmas instalações, mas sem o pessoal de antes”, disse. Além disso, os trabalhadores temem ainda a “desmobilização” da Refinaria Landulpho Alves (Rlan), em São Francisco do Conde, do Terminal Marítimo de Madre de Deus e dos campos de produção de petróleo das cidades de Candeias, Catu e Pojuca.

No passado
O Sindipetro diz que o país chegou a ter 10 sondas em operação durante o governo Lula e que foi a partir da experiência adquirida em perfuração de poços terrestres que a Petrobrás conquistou know how na área, desenvolvendo a tecnologia que levou à descoberta da Bacia de Campos e do pré-sal.

Para Radiovaldo, “a atual gestão da Petrobrás, em grande velocidade, vai minando a estatal no Nordeste. O objetivo é que a destruição da empresa comece onde ela nasceu, na Bahia. O desmonte da Petrobrás, com fechamento, arrendamento, venda de unidades e demissões vai para a conta do governo Bolsonaro”, diz o sindicalista.

Relacionadas
POR CORREIO/DA BAHIA

Da Redação:  Inhambupenoticias,  Falar com Reinaldo Silva Radialista  DRT.8217/BA – whatsApp (71) 9-9912 9161 – (75) 9.8132 7723 
e-mail:  reinaldosilva95fmalagoinhas@gmail.com  Baixe nosso aplicativo no play store do seu celular 95 FM de Alagoinhas, Ouça Nossa Programação ao Vivo Pelo RadiosNet

Deixe uma resposta

Top